Parte 1  >>  Padrões de medida

Segundo SILVA (1985), a diagramação deve obedecer a padrões de medidas tipográficas, cujos mais utilizados são o cícero e a paica, que correspondem a 12 pontos tipográficos[1] (½cm). As pesquisas do autor concluem que o cícero predominou no Brasil até a chegada dos sistemas de fotocomposição de língua inglesa, que utilizavam a paica. Como os computadores eram geralmente importados dos Estados Unidos, a paica foi aos poucos substituindo o cícero.

Esses padrões são responsáveis pela organização e harmonia visual de um jornal impresso, controlando as medidas das caixas de texto, dos títulos e dos espaços divisores. SILVA (1985) sugere o modelo de diagramação utilizado pela maioria dos jornais, incluindo a Folha de São Paulo:

Metade inferior da capa da Folha de São Paulo de 30/09/02, edição São Paulo.

Fonte: adaptado de SILVA, Rafael Souza. Diagramação: O Planejamento Visual Gráfico na Comunicação Impressa, 3ª edição, Summus Editorial, 1985.

No esquema acima, a página do jornal é dividia em seis colunas com as mesmas proporções. Os espaços em branco que as separam – entre as linhas tracejadas – também possuem a mesma medida, em geral uma paica.

Quando uma caixa de texto precisar ocupar duas ou mais colunas, seu título deve ocupar o espaço total das mesmas incluindo os espaços divisores internos. É possível visualizar exemplos no esquema acima, como a primeira notícia localizada na extremidade superior-esquerda e os dois blocos situados abaixo da única fotografia. O mesmo deve ocorrer com imagens, tabelas e todos os elementos da página, organizados conforme um padrão para assegurar o aspecto harmonioso.

O texto formatado sem espaçamento entre as linhas é chamado de composição cerrada ou cheia. Se um texto é feito em corpo (tamanho) 10 com 1 ponto de espaçamento, escreve-se "10/11" (diz-se "10 sobre 11"). Assim, o primeiro número indica o corpo, o segundo, o espaçamento.

Textos alinhados à esquerda são mais fáceis de serem lidos. Já a composição centralizada costuma ser estática e deve ser evitada em textos longos, pois a falta de uma margem de apoio dificulta a leitura. A composição alinhada à direita gera um contraste interessante e costuma chamar a atenção. Entretanto, para textos longos, a leitura se torna tão difícil quanto a composição centralizada, pela falta de referência do inicio a linha.

É recomendável não justificar o texto em colunas estreitas, pois podem criar muitos espaços em branco que dificultam a leitura. Entretanto, dependendo do espaço disponível para o texto, a formatação justificada pode embelezar a página esteticamente devido ao exato alinhamento dos parágrafos e blocos de texto.

Notas:

[1] Inicialmente 13,3 pontos tipográficos, mas tal número foi modificado conforme as transições entre os diversos sistemas de medidas até alcançar um valor estável (SILVA, 1985).

>> retornar ao texto

  


webjornalismo.gelsonamaro.com // Jornalismo On-line: Guia Teórico e Prático

Conteúdo registrado na Biblioteca Nacional e protegido pelos Direitos Autorais

Incluir nos favoritos

Voltar para a página inicial

Entrar em contato